Informação para prevenção. Saiba mais sobre demência e Alzheimer. 

Conhecimento faz toda diferença. Saber sobre doenças neurológicas é um ato importante para prevenção e para um diagnóstico precoce. No que se refere as questões da saúde, o quanto antes se souber dos desafios, mas rápido os especialistas podem auxiliar no caminho do bem-estar dos seus pacientes. 

Por exemplo, ter conhecimento de doenças como a doença de Alzheimer é uma questão importante. O Alzheimer é uma doença neurológica degenerativa, que tem como característica o acúmulo de proteínas anormais no cérebro. Por conta desse fenômeno, surge a disfunção em sinapses e morte de neurônios. 

Essa morte neuronal impacta diretamente as funções cognitivas de forma crescente, comprometendo a perda da memória como uma manifestação inicial da doença.  

Com isso, as lembranças de fatos e questões recentes são afetadas em aproximadamente 85% dos pacientes no início da doença – informação estuda pelo Dr. Paulo Caramelli, neurologista do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais.   

Nesse quadro, a pessoa começa a esquecer de fatos de sua rotina, como por exemplos: compromissos assumidos, senhas de bancos, informações importantes, data de aniversário, entre outras informações do cotidiano. 

Assim, ao se manifestar sintomas semelhantes, a pessoa precisa ser observada de forma contínua, pois existem riscos diretos que precisam ser evitados, como o esquecimento de panelas no fogão, o ferro de passar ligado encima da tábua ou de peças de tecido, equipamentos que precisam ser desligados, remédios e tratamentos que não podem ser interrompidos dentre outras questões. Por isso, a importância de um diagnóstico para o devido tratamento torna-se uma questão de suma importância para a promoção do bem estar da pessoa, como também, de toda a família. 

Já a demência, que se trata de um termo médico no sentido de ser um conjunto de alterações clínicas, que comprometem a função cognitiva ou comportamental da pessoa de forma intensa, e que, dependendo de sua intensidade o paciente pode ser prejudicado na sua autonomia e na realização de atividades de sua rotina.  

Esses sintomas precisam ser observados para o devido acompanhamento com um neurologista, cerca de 50% a 60% dos casos de demência são frutos de problemas relacionados a doença de Alzheimer, e tem uma frequência relativamente pessoas acima de 65 anos. 

Fique atento! Cuidar bem da sua saúde e da saúde de pessoas que gostam é um desafio de todos nós todos os dias. 

Informação salva vidas! 

….. 

Fonte: Boletim Bimestral da Academia Brasileira de Neurologia. ABNews. Ano 16, edição 6, publicado em novembro/dezembro de 2020. 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s