Desconhecemos o significado da palavra frustração até que um belo dia, quando estamos lá pelo “décimo quinto sono”, acordamos com uma vontade incontrolável de ir ao banheiro. Se acontece só de vez em quando e voltamos a dormir rapidamente, até que dá para seguir em frente. Só que tem gente que levanta todas as noites, várias vezes por noite. Não existe sono que aguente. Nestes casos, essa “levantadinha” rápida leva o nome de noctúria. 

Nos Estados Unidos, estima-se que 50 milhões de pessoas têm este problema, o que representa cerca de 15% da população americana. Extrapolando esse número para cá, podemos ter quase 32 milhões de brasileiros sofrendo com a noctúria.

Só que muitos casos passam despercebidos e apenas um em cada cinco são oficialmente diagnosticados. Por isso, conhecer o problema e saber como cuidar dele é tão importante. Para pacientes e profissionais da saúde. 

O que é a noctúria

A noctúria é uma condição que faz um paciente acordar duas ou mais vezes por noite para urinar.

Por definição, para ser considerada nessa conta de duas ou mais vezes, a visita ao banheiro deve ser precedida por e preceder um intervalo de sono, ou seja, a urinação que ocorre logo ao despertar não é levada em consideração, nem aquela justo antes de cair no sono. Também não são considerados os episódios em que uma pessoa acorda por outro motivo (como sede ou ruídos) e acaba “aproveitando” para ir ao banheiro.

O fato de ter uma “consequência” tão corriqueira, a urinação, é o que faz com que essa condição acabe passando batido por médicos e pacientes e fique sem tratamento. 

A noctúria não é considerada um distúrbio do sono.

Noctúria é o mesmo que xixi na cama?

Não, eles têm características distintas entre si.

A noctúria é marcada por episódios que fazem uma pessoa acordar para ir ao banheiro mais de uma vez durante a noite. Já o “xixi na cama”, chamada de enurese noturna e mais comum em crianças em processo de desfralde, é marcada pela perda involuntária de urina enquanto dorme. 

Ou seja: na noctúria você sente vontade de ir ao banheiro e se levanta para fazê-lo. Na enurese noturna, você não consegue ter esse controle.

Quem pode sofrer de noctúria

A noctúria é mais comum e severa com o avanço da idade. A incidência em homens na faixa dos 70 anos é de quase 50%.

Isso não quer dizer que este é um problema exclusivo das pessoas idosas. Cerca de 76% das mulheres e 69% dos homens acima dos 40 anos de idade levantam-se pelo o menos uma vez por noite para ir ao banheiro.

Isso já indica uma ligeira inclinação da noctúria para o sexo feminino. O número também é inflacionado pela aparição do problema durante a gravidez (ele costuma desaparecer espontaneamente três meses após o parto).

O diagnóstico de apneia obstrutiva do sono também aparece relacionado com a noctúria. De acordo com a Associação Americana de Apneia do Sono, 84% dos pacientes com AOS levanta-se frequentemente para usar o banheiro no meio da noite, o que mostra que esse pode ser um fator preditivo para os problemas de obstrução do ar durante o sono.

O que causa a noctúria

A etiologia dos episódios de noctúria é multifatorial, ou seja, dependem de diversos fatores, mas em termos gerais eles têm quatro principais causas:

  • Poliúria noturna, que é a causa mais comum de noctúria; ela representa 88% dos casos. A poliúria noturna é quando o corpo produz mais urina do que a média durante a noite. Ela pode acontecer por consumo excessivo de líquidos, ainda mais se for cafeína e álcool. O uso de diuréticos, consumo alto de sal e insuficiência venosa crônica também podem gerar a poliúria.
  • Poliúria global, que também é a produção excessiva de urina (mais de 3 litros por período de 24 horas), mas neste caso durante todo o dia. Ela está associada ao consumo excessivo de líquido que pode ser causado por polidipsia (sede excessiva), efeito de drogas, diabetes e até insuficiência renal e baixos níveis de estrogênio (em mulheres).
  • Problemas de armazenamento na bexiga, com baixa capacidade de retenção da urina, o que aumenta as chances de noctúria mesmo que o paciente não apresente excesso de produção. Pode ser causado por alargamento da próstata (homens), menopausa (mulheres) ou até mesmo infecções do trato urinário, entre outros. 
  • Distúrbios do sono, como a apneia, mencionada anteriormente. A insônia também pode contribuir para a noctúria. Os distúrbios do sono devem ser investigados principalmente quando o paciente tem dificuldades de voltar a dormir depois de voltar do banheiro.

Por que a noctúria é um problema

Porque ela é sinônimo de sono ruim.

Dentre os critérios estabelecidos de qualidade do sono, está o limite de apenas um despertar na madrugada. Por definição, ao depender de ao menos dois despertares, a noctúria é incompatível com uma boa noite de sono.

Portanto é óbvio assumir que as pessoas que sofrem com a noctúria dormem mal, o que causa grandes efeitos na sua vida e na sua saúde, como por exemplo problemas cardiovasculares, maior risco de Alzheimer e baixa imunidade até queda na produtividade, dificuldades de concentração e risco aumentado de acidentes de trânsito.

Esses são os motivos principais porque a noctúria não é um problema a ser desprezado como frequentemente ocorre.

Como é feito o tratamento da noctúria

Como ela não é uma doença ou distúrbio em si, o tratamento da noctúria em geral envolve os cuidados com a causa dessa condição. 

O exemplo mais simples é o de pacientes que tomam medicamentos diuréticos à noite e, por isso, produzem mais urina nessa parte do dia. Modificar o horário da medicação pode ser o suficiente para resolver o problema. 

A regularidade de horários e a higiene do sono também colaboram para a melhoria e diminuição dos episódios. 

O tratamento também pode incluir algumas mudanças de hábito, tais como:

  • Redução do consumo de líquidos à noite, especialmente entre o jantar e a hora de dormir;
  • Redução do consumo de sal;
  • Elevação das pernas por pelo menos meia hora antes de ir para a cama;
  • Evitar longos períodos de pé e parado;
  • Prática de exercícios físicos, mesmo que de baixa intensidade.

No caso de pessoas idosas, mais afetadas pela noctúria, é importante ainda cuidar da segurança para que não sofram acidentes quando se locomoverem para o banheiro de madrugada. Por isso, elas devem ter um acesso ao interruptor de luz direto da cama, para não terem que andar no escuro. Se possível, devem também dormir em quartos com banheiro perto, para diminuir o deslocamento.

Se necessário, deve ser considerado o uso de fraldas absorventes e protetores de colchão para que não seja necessário sair da cama para urinar.

Apesar de parecer inofensiva, a noctúria merece a mesma atenção e cuidado que outros distúrbios e condições que afetam o sono. Se você sentir que os despertares para ir ao banheiro estão prejudicando o seu sono, converse com o seu médico.

…..

Fonte: Site Persono >> clikc aqui<<

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s